segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Nelson


Nelson acorda com mais uma ressaca da bebida, do cigarro, do churrasco, da orgia sexual de ser ele mesmo, insisti em ser pervertido com aquelas mulheres vulgares, que rasgam suas roupas para apenas sexo! É uma das poucas palavras que as mesmas conhecem, cansado de cocaína, de pensar numa suposta cirrose, de vender a sua alma, corpo e reputação por um trocado. Quanto você paga pelo seu vicio? Ele nem quer viver grandes amores, ele quer ter estabilidade por si, para de usar drogas e talvez casar e ter filhos, clichê? Você vai negar que não pensa em viver com alguém e ter sua casa? O medo de ver marcas surgirem no seu corpo pelo vicio, o nojo de si mesmo de fazer sexo por sexo, até mesmo com alguém do mesmo sexo, apenas para alimentar si com a cocaína, a cocaína. Mas hoje Nelson vai se prostituir de novo pelo pó, amanha ele muda, hoje pelo menos é um empresário que paga bem, mas a dor sempre é maior. Tanta na relação como no efeito pós-droga.

8 comentários:

  1. É, um texto de imagens e sensações bem fortes. Mas vc pode melhorá-lo muito: preste atenção na ortografia, tempos verbais, concordância. São detalhes que enriquecem e sofisticam um trabalho literário. Mas não pare de escrever. :)

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu texto. Literatura beat pura. Ganhou uma seguidora. http://linhasinglorias.blospot.com

    ResponderExcluir
  3. não julso os meios para chegar aos clichês ou american dreams...mas é preciso ter um objetivo sempre...senão a vida passa e já era!!!

    ótimo texto rapaz!

    ResponderExcluir
  4. Haha bom o post!

    Passei para conhecer seu blog... passarei mais vezes!!

    grane beijo

    http://joycebc.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. olha,eu gostei de seu blog..temas interessantes para quem não se opõe a uma boa leitura...e bem discursivo.podes me fazer um grande favor?visite meu blog...e me siga..pois eu já estou te seguindo.abraços

    http://desenhospoeisiascomportamento.blogspot.com/

    ResponderExcluir